Convento das Bernardas: o mosteiro que virou complexo residencial

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com menos de 15 mil habitantes, a pequena Tavira, no sul de Portugal, faz parte da província do Algarve, considerada a região turística mais importante do país. Essa pequena e charmosa cidade se tornou um importante polo de turismo, graças a seu exuberante patrimônio cultural e paisagístico.

É nesse cenário que está instalado o encantador Convento das Bernardas, maior convento do Algarve e o único da Ordem de Cister – ordem católica fundada na França em 1098 – em Portugal. A edificação histórica foi fundada no início do século 16 e abrigou um mosteiro e até uma fábrica de farinha, desativada na década de 1960.

Em 2012, o local foi transformado em programa residencial, por meio de um projeto de restauração assinado pelo arquiteto português Eduardo Souto de Moura, vencedor do Prêmio Pritzker em 2011. Com 78 apartamentos posicionados em torno de um grande pátio central, o edifício precisou ser adaptado para se tornar moradia. Os 57 apartamentos tríplex estão inseridos no edifício antigo. A nave central da igreja abriga a recepção, enquanto o altar e o coro também foram transformados em residências. O novo prédio projetado por Souto de Moura recebeu 21 casas, com um e dois pavimentos e terraços de acesso. No centro do complexo, uma piscina de água salgada com 20 metros quadrados faz referência às salinas de Tavira.

Economicamente viável e inovadora, a recuperação do Convento das Bernardas é exemplo de integração sustentável do patrimônio histórico à realidade contemporânea e prova que é possível pensar alternativas mais viáveis de aproveitamento de espaço, sobretudo em épocas de crise.

Fotos: Luis Ferreira Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *